domingo, 22 de janeiro de 2017

Guia de viagem a Madri - Dicas de Gastronomia em Madri



Come-se bem, bebe-se ainda melhor. O cenário gastronômico de Madri é riquíssimo com o que há de melhor na cozinha ibérica. E as adegas, abastecidas com os famosos rótulos nacionais e dos vizinhos italianos, portugueses e franceses, muitas vezes oferecem preços bem atraentes.
Depois de andar por Madri e ver as atrações turísticas, conhecer a história da cidade e visitar as igrejas, nada melhor do que apreciar a cozinha espanhola. De frutos do mar a embutidos, passando por frituras e sopas, a comida também guarda um pouco de história. Mas não espere começar o dia cedo. Os madrilenhos acordam tarde e tomam seu desayuno, ou café da manhã, a partir das 9:00 horas. O desjejum pode ser chamado de café continental e inclui itens como café, chocolate quente ou chá, pão, geleia e manteiga, além de churros. Diferentes dos encontrados no Brasil, que são recheados, a versão espanhola é somente frita em óleo bem quente e servida com uma xicara de chocolate espesso. Experimente mergulhar los churros nesse chocolate, como muitos nativos fazem. Se preferir uma refeição mais leve, o café com leche, tão familiar no Brasil, também é facilmente encontrado nos cafés. O café da manhã tem mais opções de bebidas do que o café com leche. Chocolate quente é outra pedida, assim como o chá. A água “da torneira” de Madri é considerada de boa qualidade.
Já com as baterias recarregadas, os espanhóis vão ao trabalho e os turistas curtem a paisagem local.
El almuerzo, a principal refeição dos madrilenhos, acontece por volta das 14 horas e geralmente é composta por frango, carne de porco, linguiça, chorizo (uma variante mais apimentada de linguiça), grão de bico e verduras. Os assados também estão presentes, e são à base de carne de porco, cordeiro, cabrito, frango e coelho.
O jantar dos madrilenhos, ou la cena, acontece por volta das 22 horas e é uma refeição semelhante ao almuerzo. Conta com prato de sopa, seguido de peixe ou carne com verduras, e sobremesa. Do jantar em diante, depende do que vai fazer à noite.
O vinho espanhol é companhia onipresente no almoço e jantar. Ele pode ser servido em garrafas, meias garrafas e taças. Mas la cerveza se tornou bastante popular. Servida em garrafa (caña) e em copo como o de chope.
Na Espanha também tem bebidas típicas. Uma delas é o jerez, um tipo de vinho produzido no sul do país, próximo litoral, nas cidades de Jerez de la Frontera, Puerto de Santamaria e Sanlúcar de Barrameda. A outra é a sangria, feita de vinho, refrigerante, laranjas e limões cortados em pedaços.

Conheça os principais pratos da gastronomia espanhola:

Paella
Quem quiser provar uma comida típica do país não pode deixar de experimentar a paella. Conhecida no mundo todo, sua receita pode variar conforme a região em que é preparada, mas costuma levar arroz, frutos do mar, carnes de porco, frango, linguiça, pimentão, cebola e alho. Hoje celebrada como um prato nobre, sua origem é bem mais humilde. Entre os séculos 15 e 16, a paella era a refeição dos camponeses da região de Valência, no litoral da Espanha, que levavam para o campo uma panela grande, redonda e com alças (a paella), e lá misturavam tudo o que tinham. Outra origem do nome é um agrado que os trabalhadores rurais faziam às suas esposas depois de passarem a semana toda trabalhando: eles cozinhavam para ellas.

Tortilla
Outro prato obrigatório na mesa dos espanhóis. Tipo de omelete recheado com batata e cebola.

Gazpacho
Também era comida dos camponeses, no intervalo do trabalho. Significa “pão ensopado” em árabe. Com origem na região sul da Espanha e muito consumida no verão, essa deliciosa sopa fria é feita com polpa de tomates crus, cebola, pepino, alho, vinagre e azeite. Há versões com carne, frutos do mar ou carne de coelho. A receita varia de acordo com a região em que está sendo preparada, por isso o sabor muda na Andaluzia, em Extremadura ou em Castilla, por exemplo.

Cocido Madrileño
Também conhecido como “puchero”, esse delicioso prato é típico da cidade de Madri e da cozinha mediterrânea. Normalmente consumido no inverno, é preparado com grão-de-bico e também pode levar diversos tipos de verduras e carnes bovina e suína.

Cochinillo asado
O leitãozinho (cochinillo) é a maior estrela dos assadores espanhóis, tão comuns na região central do país. O domínio de uma técnica secular faz com que a carne fique extremamente macia e suculenta. 

Jamón Crudo
Os melhores bares, restaurantes e tabernas da Espanha servem o presunto cru, ou jamón crudo. Existem dois tipos de jamón: o serrano, feito com porcos criados nas montanhas, e o jamón ibérico, produzido a partir de porcos alimentados com uma castanha chamada bellota. O jamón pode ser degustado puro ou acompanhado de uma taça de vinho Jerez.

Pisto
Esta iguaria teve origem na região de Murcia e Mancha. É preparada com vários legumes fritos, como pimentões, abobrinhas e tomates, acompanhados por ovo frito. Sua receita varia de acordo com a região e a época em que os legumes são colhidos.

Tapas
A origem da tradição das tapas espanholas é polêmica. Uma versão dá conta de que teve início no século 14, por ordem do Rei Alfonso XI, quando nenhuma taberna podia servir vinho aos cocheiros das carruagens sem que lhes fossem oferecidos algo para comer, para evitar que eles bebessem de estômago vazio e se embriagassem. Assim, pratinhos de comida eram servidos, “tapando” as bocas das jarras com fatias de pão. É impossível resistir a esses deliciosos e típicos petiscos espanhóis. São muito populares por causa do sabor, da simplicidade em prepará-las e na facilidade de reinventá-las, utilizando variados ingredientes, de acordo com a criatividade do cozinheiro. Podem ser azeitonas, pães, tomates, jamón (presunto), queijos, ovos, carnes, bolinhos de bacalhau e frutos do mar... E por aí vai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário