terça-feira, 25 de novembro de 2014

Guia de Viagem a Veneza



Veneza é uma cidade da região do Veneto, na Itália, que pode ser descrita como única e um dos destinos turísticos mais procurados do mundo.
A cidade é formada por 118 pequenas ilhas, separadas por 117 canais, cortadas por 409 pontes, e inúmeras ruelas e becos. Você verá cenas totalmente diferentes do seu cotidiano: polícia passando de barco, hidroambulâncias levando os pacientes aos hospitais, frutas e verduras chegando às mercearias em barcos, taxis flutuando sobre os canais e gôndolas transportando turistas e locais.
Veneza teve um crescimento de 65 ilhas para 118, com aterros construídos sobre uma série de bancos de lama, por pilares de madeira, de aproximadamente 4 metros, fincados com argila compactada e cobertas com tábuas, blocos de pedra e terra retirada das águas do Adriático. Dá para acreditar? A madeira não apodrece porque não está em contato com a atmosfera e o oxigênio. A Praça de São Marcos também é assim.
É bem fácil você se perder e com isso conhecer melhor a cidade, com belos casarões, incríveis museus, lojas simples e sofisticadas e grifes famosas. Tudo se dispor de tempo para tal. Se sua viagem for por excursão terrestre ou navio de cruzeiro e vai ficar parte de um dia, para um melhor aproveitamento do passeio, procure ler sobre a cidade antes de chegar lá.
Para se localizar no centro de Veneza basta observar as indicações do nome da rua onde está e onde seguir, que estão no alto das paredes dos prédios.
A acqua alta, enchente que toma conta das ruas da cidade, costuma acontecer entre os meses de novembro e dezembro. Se sua viagem é nesta época do ano, observe a previsão do tempo para evitar transtornos.
A cidade é dividida em seis bairros (ou sestieri):


Continue lendo. Click em "Mais Informações"







- Cannaregio – neste bairro termina a Ponte della Libertà que liga a cidade ao continente e a estação ferroviária de Venezia Santa Lucia.
- Castello – é o maior dos bairros de Veneza.
- Dorsoduro – o nome significa “coluna dura” devido a natureza do terreno, mais duro que as terras envolventes. Tem como centro o animado Campo Santa Margherita, o maior espaço aberto desta parte da cidade. Fica ao sul dos bairros de Santa Croce e San Polo, englobando as ilhas situadas do outro lado do canal da Giudecca.
- San Marco - é o bairro mais central de Veneza. É onde fica a Praça de São Marcos, a Basílica e o seu Campanário.
- San Polo - a ponte e os mercados do Rialto atraem muitos turistas para o menor dos bairros da cidade, com o principal mercado da cidade, ao longo do Grande Canal. Longe da ponte, as ruas ficam mais tranquilas e levam a minúsculas praças e belas igrejas.
- Santa Croce – o nome faz referência à cruz de Cristo e pertence à zona chamada Luprio, onde se encontravam os pântanos salgados nos primeiros tempos da história da cidade.
Como chegar

Avião

O principal aeroporto de Veneza é Internacional Marco Polo que fica a 13 km do centro da cidade. O translado pode ser realizado por taxi aquático, barcos da Alilaguna ou ônibus da ATVO, que vai até a Piazzale Roma, de onde se pode deslocar a pé, ou por vaporettos (barcos a vapor) para percorrer o belíssimo Canal Grande, a principal via aquática de Veneza. Se preferir, pode reservar, com antecedência, traslados compartilhados ou exclusivos para o hotel em barcos especiais.
Outra opção é o aeroporto Treviso, utilizado por companhias aéreas de baixo custo (low cost), que fica a 30 km, aproximadamente uma hora de Veneza. O transporte pode ser por ônibus da ATVO, com destino a Piazzale Roma.
Existem voos diretos do Brasil, ou com apenas uma escala, ou partindo de várias capitais europeias.

Trem
Já estando na Itália é a melhor maneira de chegar, através das estações Santa Lucia, na parte histórica da cidade, ou Mestre, no continente.
Chegando pela estação San Lucia, terá pela frente o Grande Canal e belos prédios. Uma bela recepção. Descendo em Mestre poderá fazer a travessia por barco, com vistas maravilhosas do continente e das ilhas.
Seja qual for a opção, são as boas vindas que o turista deve esperar de Veneza.
Antes de chegar e se for hospedar na ilha, procure identificar a localização do seu hotel, através de mapas ou pelo Google. Como não existe carro taxi, você pode ficar arrastando malas por centenas de ruelas procurando o hotel.
Saiba mais sobre como viajar de trem na Itália

Carro
É a pior opção para ir a Veneza, pois não terá utilidade.

Onde ficar

Você tem as opções de hospedagens em Mestre, no continente, ou na ilha, a “Veneza de verdade”.

Se sua preferência é por hotéis mais novos e de menor custo, então o seu destino é Mestre, porém terá que se deslocar até o porto para a travessia de barco ou o fazer o translado de ônibus até a ilha. Quem viaja em excursão, normalmente fica hospedado em Mestre. É bom lembrar que, além de perder o charme da ilha, Mestre não tem quase nada para fazer a noite.
Leve em consideração quando for decidir entre Mestre e a ilha, que o passe de viagens para usar os transportes da cidade (ônibus entre Mestre e Veneza e também o vaporetto), é um pouco caro, custando 18,00 euros por um dia e 24,00 euros por dois de viagens ilimitadas. Já a passagem única no ônibus que atravessa a ponte que liga Mestre a Veneza, custa 1,20 euro.
Se sua pretensão é ficar na ilha, em hotel de primeira linha, próximo às atrações turísticas, pesquise preços, pois podem variar entre 200 a 1000 euros, por dia. Para hotéis mais em conta, procure na região de Santa Lúcia, onde a caminhada para os pontos turísticos é bem agradável e você vai descobrir restaurantes e cafés de ótima qualidade, com preços compatíveis como seu orçamento.
É recomendável não chegar a Veneza sem reserva de hotel. Alias, não viaje para o exterior sem reservar e confirmar o hotel. Vai ser um transtorno. E se não falar a língua local, a situação vai ser muito pior.
Peça um cartão do hotel, para qualquer dificuldade no retorno, e um mapa da cidade, para facilitar o seu passeio.

Veja hotéis em Veneza, clique aqui.

Restaurantes
Veneza possui restaurantes para todos os bolsos e gostos. São mais caros nas proximidades da Piazza San Marco, e nem sempre os melhores. Restaurantes com fotos no cardápio são mais turísticos e nem sempre têm qualidade.

Sugestões:
- La Lista Bistro - Lista di Spagna, Cannaregio, 225
- Pizzeria Vittoria - Santa Croce, 745
- Gelateria - Lista di Spagna, Cannaregio, ao lado do hotel Universo Nord
- Caffe Florian - Piazza San Marco
- Harry’s Bar -  Calle Vallaresso, 1323
- Alfredo's - Fresh Pasta To Go, Calle De La Casseleria, 5324
- Antico Forno - San Polo (Ruga Rialto) 970
- Cantina Del Vino – Fondamenta Nani, 992 – Dorsoduro
- Osteria da Fiore – Calle Del Scaleter, 2202 – San Paolo
- Vino Vino – Ponte delle Veste 2007A - San Marco
Como circular
A melhor forma de conhecer a cidade é a pé, se perdendo pelas suas inúmeras ruelas e praças. Para deslocamento mais longos use os vaporettos, que circula pelos canais, práticos e relativamente baratos (Viagem única €6,50, 12 horas €18,00, 24 horas €20,00, 36 horas €25,00). Comprar o cartão em qualquer tabacaria espalhada pela cidade, geralmente na proximidade das estações do vaporetto.
As gôndolas não são o meio de transporte oficial, mas um passeio turístico. Leva aproximadamente 30 minutos e custa entre €80 a €100, dependendo da época.
Não há transporte terrestre (carros e ônibus) na cidade.
A empresa City Sightseeing da Itália, especializada em transporte turístico, oferece em Veneza o mesmo serviço dos seus ônibus vermelhos, só que em barcos, com itinerários que percorre os canais da cidade italiana. São disponibilizados para os visitantes sete barcos vermelhos, dos quais seis com capacidade de 25 toneladas e um com tamanho menor que permite o transito embaixo da Ponte da Liberdade.

Pontos turísticos


Ponte de Rialto
É um dos principais pontos turísticos de Veneza e está sempre lotada de turistas e venezianos. Além de servir como ligação entre os dois lados do Grande Canal, tem várias lojas e uma bela vista, apropriada para belas fotos. Nas proximidades está o Mercado de Rialto, local histórico e antigo porto de Veneza.



Grande Canal
Além de ser a maior via de navegação da cidade, o canal tem às suas margens alguns dos prédios mais importantes, de famílias que competiam com a construção dos mais belos palácios às margens do Grande Canal.
Faça um tour em um vaporetto durante o dia ou à noite. Custa bem menos que as gôndolas.



Gueto Judáico
Turistas e venezianos procuram este local, repletos de prédios históricos, para aproveitar os melhores restaurantes e lanchonetes típicos judaicos. O ponto central do gueto é a praça Ghetto Nuovo.


Piazza San Marco
Principal atração da cidade, e possivelmente a praça mais famosa do mundo, sempre fica lotada seja com calor, frio ou chuva. Recebe, por dia, mais de 50 mil turistas de todo o mundo, em horário de pico entre as 10 horas e as 15 horas, período em que os navios de cruzeiros ficam atracados no porto e as excursões, vinda de Mestre, invadem a praça. Antes das 10 horas não é um bom negócio, pois tudo estará fechado. Melhor é chegar após as 16 horas, quando a maioria dos visitantes já estará retornando.
Atrações imperdíveis estão na praça, como a Basílica de São Marco, a Campanile, que abriga os sinos da basílica, o Palazzo Ducale e a Torre do Relógio, um prédio do século XV que abriga um dos maiores relógios astronômicos do mundo. Lojas e restaurantes, como o Café Florian, o mais famoso da cidade estão a sua espera.




Basílica de San Marco
Considerada uma jóia da arquitetura bizantina e um raro tesouro, com detalhes dourados, tanto no seu exterior quanto no interior, e belíssimas cúpulas azuis. É lá que ficam guardados os restos mortais de São Marcos, o Evangelista.
A entrada é grátis. Para o acesso deve-se observar o regulamento, ou seja, trajes adequados, nada de short, saias curtas, camisa ou vestido sem mangas. Bolsas grandes, mochilas e malas terão que ser guardadas no Ateneo San Basso, localizado próximo da basílica.


Campanile
Torre veneziana, que fica na Piazza San Marco, com a melhor vista de Veneza do alto. Entrada paga, porém vale a pena gastar os 8 euros.



Palazzo Ducale
Era a residência do Doge, o dirigente e a pessoa mais poderosa de Veneza. Localizado logo ao lado da Basílica de São Marcos, o palácio tem uma arquitetura gótica impressionante. Parte da fachada é composta por duas colunas de mármore vermelho, onde os nomes dos condenados à morte pela República eram anunciados.
O interior do palácio é composto por diversos salões repletos de afrescos, como a Sala del Maggiore Consiglio, com pinturas de Veronese e Tintoretto.
Entrada paga – 14 euros.




Murano
É uma das belíssimas ilhas que circundam Veneza, localizada a pouco mais de meia hora de vaporetto da cidade. Famosa pela produção de artigos de vidro soprado para decoração, mesa e lustres, verdadeiras obras de arte de altíssima qualidade. A fabricação foi transferida de Veneza para Murano em função do risco de incêndio, já que a produção exige fornos e a maioria dos prédios da cidade era em madeira.
A ilha tem diversas praças onde os trabalhos dos artesãos do vidro ficam em exibição, além de belas igrejas e pontes. Inúmeras lojas vendem as peças nas mais variadas cores, com preços mais baixos que em Veneza, e algumas fazem apresentação da fabricação. Procure as lojas Murano Collezioni e Venini, na ilha.
Os restaurantes são bem mais em conta que os de Veneza.




Ponte dos Suspiros
É a ponte mais fotografada de Veneza. Na alta estação é difícil conseguir um espaço para vê-la, em meio a tantos turistas. Fica bem próxima a Piazza San Marco e liga o Palazzo Ducalle a Prigioni Nove. Conta a lenda que recebeu esse nome em função dos prisioneiros que passavam por ali e davam seu último suspiro ao mundo externo.




Passeio de Gôndola
A gôndola faz parte da vida veneziana desde o século 11. Com casco delgado e parte inferior achata, é perfeitamente adaptada aos canais estreitos e rasos da cidade. É o passeio mais romântico e tradicional de Veneza, e também o mais caro. No inverno custa €80 e no verão por pelo menos €100, por 30 minutos. É possível dividir o passeio com até seis pessoas.

Museus
Veneza tem diversos museus, entre eles a Coleção Peggy Guggenheim, Galerias da Accademia, o Ca’Rezzonico, e até mesmo o Palazzo Ducalle.

Igrejas
Veneza possui mais de 200 igrejas. Veja no link  Igrejas de Veneza

Eventos
O Carnaval de Veneza é um dos mais famosos do mundo. A diversão é sair à noite, principalmente na sexta-feira, e ver os venezianos com suas fantasias e máscaras maravilhosas. Eles são muito atenciosos e se colocam à disposição para fotografias. Depois seguem para bailes fechados.
A época pode variar de janeiro a março.
Compre uma máscara típica da cidade a partir de 15 euros.

Segurança
Em Veneza não se vê muitos policiais, chamados Carabinieri, nas vias. A cidade é tranquila, mas por ser extremamente movimentada é bom tomar cuidado com possíveis furtos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário